Anglo-francês da pequena Vénerie

Cachorro Anglo-francês da pequena Vénerie

Origem e história

A história do Anglo-francês da Pequena Vénerie é quase incerta, já que esta raça foi desenvolvida antes dos registros escritos sobre a criação de cães. O que está claro é que foi criada na França, há centenas de anos, e que foi gerada no cruzamento de cães ingleses com franceses. 

A maioria das fontes acredita que a linhagem descende provavelmente do século XVI, embora não esteja clara em que esta estimativa é baseada. Independentemente disso, a raça pode rastrear sua ancestralidade mais longe.

Possivelmente desenvolveu-se devagar ao longo de vários séculos, com novas raças sendo adicionadas regularmente. Por exemplo, os Foxhounds ingleses estavam em um estágio inicial de desenvolvimento quando a raça anglo-francês da pequena Vénerie foi criada, e os Harriers foram substancialmente adicionados também. 

O cruzamento de cães franceses e ingleses resultou num cachorro com o tradicional padrão de cor e corpo de um cão inglês, mas com a cabeça, rosto e nível de refinamento semelhante aos cães franceses. Esta raça foi usada de maneira comum na caça francesa. 

Anglo-franceses da pequena Vénerie eram soltos para rastrear a caça enquanto os caçadores seguiam a cavalo ou a pé. Os cães caçavam em bandos, pares ou isoladamente, dependendo da situação. Cachorros da raça anglo-francês da pequena Vénerie localizavam uma trilha e começavam a segui-la, latindo enquanto corriam para que os caçadores pudessem localizá-la.

O anglo-francês tornou-se altamente qualificado em sua tarefa e foi muito valorizado pelos caçadores. O tamanho pequeno desta raça e a capacidade de trabalhar sozinho, quando necessário, deixava claro sua acessibilidade diante de muitos outros cães franceses.

 Este cão conseguiu sobreviver à Revolução Francesa e a ambas as Guerras Mundiais em melhor forma do que muitos cães semelhantes.

Ao longo do século XX, a raça continuou sendo relativamente popular na França. No entanto, até muito recentemente, a linhagem permaneceu praticamente desconhecida fora de sua terra natal. Nas últimas décadas, alguns filhotes de anglo-francês da pequena Vénerie foram encontrados na Espanha e, especialmente, na Itália, onde se mostraram altamente capazes de trabalhar nas condições locais. 

Além disso, um número muito pequeno de cães chegou individualmente à Inglaterra e aos Estados Unidos. A maioria dos membros da raça que vivem nessa parte do planeta foi importada como resultado do raro mercado de mascotes, mas alguns cães da América foram importados para trabalhar com cães de caça.

Temperamento

O anglo-francês da pequena Vénerie foi desenvolvido e criado como um caçador de matilhas e tem o temperamento que se espera de uma raça como essa. Porque tão poucos destes cães foram mantidos como animais de estimação, é difícil saber. 

Como a maioria dos cachorros de caça, o anglo-francês da pequena Vénerie na personalidade precisava ser capaz de trabalhar próximo a um grande número de caçadores desconhecidos. Em resposta, eles tendem a não ser muito agressivos. 

Alguns membros da raça podem ser extremamente extrovertidos e carinhosos, enquanto outros são mais tranquilos e reservados. Não há muita informação disponível sobre a adequação da linhagem com as crianças, mas a maioria das raças semelhantes se dá muito bem com elas, desde que haja adequada socialização e treinamento. 

Embora esta estirpe certamente prefira passar todo o seu tempo com a família, na França eles são tradicionalmente mantidos em um ambiente de canil e provavelmente seriam bastante tolerantes em um. Certamente seria um cão de guarda muito pobre, pois não há ímpeto nem agressividade suficiente.

O anglo-francês da pequena Vénerie no temperamento foi criado para trabalhar em grandes campos que podem conter dezenas de outros cães estranhos ou familiares. Mesmo a menor agressão do animal é absolutamente inaceitável em tal ambiente e foi cuidadosamente eliminada. Quando devidamente socializada, esta raça tende a ter pouquíssimos problemas com outros cães, e a maioria é muito amigável com eles. 

Cuidados

A raça anglo-francesa da pequena Vénerie tem requisitos de higiene muito baixos. Este cão nunca exigirá cuidados profissionais, apenas uma escovação regular. 

Esta raça é bem peluda, e alguns exemplares soltam bastante pelo. Apesar de alguns perderem menos, a maioria vai cobrir tapetes, móveis e roupas com os fios.

Contudo, a anglo-francesa é uma raça fácil de se cuidar. Eles são cães limpos que não têm cheiro de cachorro. Como o pelo é curto e liso, repele naturalmente a sujeira e a umidade. O banho deve ser apenas em quantidade necessária. 

A escovação não apenas promoverá o bom estado do pelo, mas também melhorará a condição da pele do cão. Esta linhagem não tem preocupações de saúde genética, mas é propensa a infeções no ouvido. As orelhas devem ser verificadas e limpas regularmente. Lembre-se também de verificar o cão contra parasitas externos.

Saúde

É impossível fazer declarações definitivas sobre a saúde do anglo-francês da pequena Vénerie. 

No entanto, a maioria das fontes parece pensar que esta é uma linhagem bastante saudável. O animal foi criado quase exclusivamente como cão de trabalho. 

Quaisquer defeitos genéticos em potencial prejudicariam sua capacidade de realizar a função e, consequentemente, seriam eliminados no pool genético. Além disso, essa raça nunca foi submetida às práticas comerciais e reprodutivas de muitos cães modernos. 

O cachorro é ainda mais beneficiado pelo seu tamanho médio, não sendo afligido por problemas que são comuns em cães grandes ou pequenos.

O anglo-francês da pequena Vénerie é susceptível a infecções de ouvido. Acredita-se que as orelhas longas e caídas deste cão empurram as partículas de cheiro para o nariz, aumentando o sentido do olfato no processo. Embora isso nunca tenha sido provado pela ciência, as orelhas caídas coletam partículas de qualquer coisa com as quais o cão entra em contato como folhas, sujeira, água e comida. 

Uma vez no ouvido, essas partes ficam facilmente presas tão profundamente que o cão não consegue removê-las sozinho. Eventualmente, esses elementos presos causam irritações na pele e na membrana.

Com base no que se sabe sobre a raça anglo-francês da pequena Vénerie e linhagens semelhantes, problemas que podem ser suscetíveis são: infecções de ouvido, demodicose (sarna), displasia do quadril e do cotovelo, cataratas e atrofia progressiva da retina – PRA.

Eles têm um tempo de vida médio de 12 a 15 anos.

Como Cuidar

O anglo-francês da pequena Vénerie é uma raça de média a alta energia, por isso precisa de boa quantidade de exercícios para se manter feliz e saudável. Eles se saem melhor em áreas abertas e vedadas, onde podem correr livremente e perseguir bolas, frisbees e afins sem o risco de sentirem o cheiro de algo que os deixará agitados.

Alguns quilômetros de caminhada por dia ou 45 minutos de atividade devem ser suficientes, especialmente se forem estimulados mental e fisicamente. Com seus níveis de temperamento e energia, são melhores indicados para famílias ativas, capazes de dedicar uma boa quantidade de tempo adequada aos exercícios.

Filhote de anglo-francês da pequena Vénerie: como cuidar

Em geral, o treinamento é mais fácil com proprietários experientes, pois sua natureza obstinada e seu excelente faro frequentemente o levam a se desviar, de modo que o treinamento (e a socialização) rigoroso é encorajado para mantê-los dentro de limites razoáveis.

Os cães também mantêm um nível de energia relativamente alto e são propensos a latir, o que pode se tornar um problema em espaços menores e mais próximos.

Não é recomendado que sejam levados para casas que tenham outros animais pequenos, já que sua linhagem de caça pequena é difícil de quebrar.

Alimentação

Quando o anglo-francês da pequena Vénerie atingir a maturidade, será melhor alimentá-lo uma vez por dia. O dono sempre deverá optar pela melhor comida de cachorro, a fim de garantir uma nutrição adequada. Outras refeições que podem ser incorporadas (mas em pequenas quantidades) são ovos cozidos, frutas, legumes e queijo cottage.

Filhote de anglo-francês da pequena Vénerie: alimentação

Os filhotes de cachorro anglo-francês da pequena Vénerie precisam ser alimentados com ração de excelente qualidade para fornecer uma nutrição balanceada num crescimento preciso. Para filhotes entre 8 e 12 meses, 4 tigelas de comida por dia serão suficientes. Filhotes de 3 a 6 meses devem ficar na lista de 3 refeições no período de 24 horas. 

Sempre alimente os filhotes com alimentos para cães de alta qualidade, a fim de evitar possíveis defeitos nutricionais. Produtos secos misturados com comida enlatada, caldo ou água são perfeitos para filhotes.

Preço

O preço de um filhote de anglo-francês da pequena Vénerie pode variar de R$ 1.700,00 a R$ 2.600,00. Porém, como não há cães dessa raça no Brasil, o verdadeiro valor é entre 400 e 600 euros na França.

Anglo-francês da pequena Vénerie preço

O custo de um cão anglo-francês da pequena Vénerie varia muito e depende de diversos fatores, como localização dos criadores, reputação, tamanho da ninhada, linhagem do filhote, popularidade da raça (oferta e demanda), treinamento, esforços de socialização, linhas de raça e muito mais.

Anglo-francês da pequena Vénerie venda

Apesar de ser conhecido como ótimo cão de matilha, no Brasil, a prática da caça é ilegal. Sendo assim, esses cachorros perdem sua função e a adaptação acaba ficando mais difícil. Outro empecilho está no fato de que a raça ficou por muito tempo reclusa na França, e só agora está abrindo caminho, rumo a alguns países da Europa e Estados Unidos.

Anglo-francês da pequena Vénerie canil

Não existem canis com essa raça no país. Desse modo, para obtê-lo seria necessário pesquisar opções do exterior para conseguir um filhote da raça anglo-francês da pequena Vénerie. Porém, tais procedimentos podem ser dispendiosos e não resultar numa compra segura e bem sucedida.

A raça Anglo-francês da pequena Vénerie está na categoria Cachorros Médios