Pinscher

Cachorro Pinscher

Origem e história

Um dos cães mais populares e difundidos no Brasil, a raça Pinscher se tornou um ícone do cachorro de companhia. Sempre próximo do dono, animado e pronto para protegê-lo com seus latidos, o Pinscher Miniatura (como também é chamado) tem classificações relativamente informais por seu tamanho através de número. Dessa forma, há os Pinschers 00, 0, 1 e 2. Apesar de seu grande número, a CBKC, que é o órgão que regula a criação de raças no Brasil, nunca o colocou nas posições mais altas do ranking. Entretanto, é visível que seus números são impressionantes. Isso ocorre porque praticamente todos que têm um em casa conhecem outro, e acabam por cruzar seu cão informalmente, o que não entra nos números oficiais.

Os Pinschers caíram nas graças do Brasileiro por uma variedade de características. As principais são o seu tamanho diminuto, permitindo sua criação em apartamentos e casas sem muito espaço, e seu baixo custo com alimentação e estética. Não há registros claros sobre a vinda da raça para o Brasil. Um dos principais diferenciais responsáveis pela popularização do Pinscher provém da sua pelagem. Ao escolher uma raça de apartamento, muitas pessoas não desejam um cão que precise de tosas e escovações regulares, como a maioria dos cães desse tipo são (Yorkshire, Poodle, Lhasa Apso, etc.).

Pinscher

Sua criação remonta à Alemanha do século XIX. Lá, ele era ideal para a caça de pragas ao redor das casas, incluindo roedores e insetos. Devido ao seu tamanho diminuto, era fácil para entrar embaixo da casa e em espaços pequenos onde tais animais se escondiam. Além disso, é um cachorro bastante ágil, capturando animais indesejados sem grande dificuldade.

Em algum período entre o final do século XIX e início do século XX, iniciaram movimentos onde a raça era criada como cão de competição e companhia. Dessa forma, explorando a característica de seu tamanho diminuto, criadores buscavam cada vez tamanhos menores. Neste processo, acabaram por se produzir muitos cães adoentados e com físicos terrivelmente desproporcionais. Felizmente, após algum tempo, tal prática caiu em desuso.

Há grandes divergências sobre a origem do Pinscher quanto a sua origem, ou seja, as raças que participaram da oficialização desta raça. Algumas fontes falam de Dachshund (linguiça) e o Greyhound (Galgo Inglês). Outras, levantam a possibilidade de Terriers. O que é certo, entretanto, qualquer uma das raças que podem ter participado de sua criação são destemidas, assim como o Pinscher. Um dos ícones do cão de guarda, o Doberman, foi desenvolvido a partir desta raça, tamanha a sua coragem. Para tanto, o Doberman é comumente referenciado como Doberman Pinscher como nome completo.

Temperamento

Há uma fala que se popularizou em alguns círculos da Internet há tempos atrás: Pinschers são constituídos por 50% de fúria e 50% de tremor. Efetivamente, alguns cães desta raça tremem, mas sua fúria é absolutamente relativa. O pinscher é visto como um cão em miniatura por alguns, que se aproximam abruptamente. A fama da fúria vem porque os cachorros da raça geralmente são reservados com estranhos, e essa aproximação acaba levando a acidentes, como mordidas, por exemplo.

Muito ativo, Pinschers estão sempre prontos para brincar e correr, realizando quaisquer atividades que gastem seu estoque infindável de energia. Tem traços bastante territorialistas e protetores, e está sempre pronto para atacar ao achar que o dono está sendo ameaçado. Além disso, é muito corajoso, e não se intimida por outros cachorros ou pessoas.

Pinscher3

Muitos falam que o Pinscher é um polarizador de sentimentos: ou se ama, ou odeia. Isso se dá porque os cães dessa raça geralmente têm personalidade bastante forte, o que por si só já suscita emoções bastante divergentes. Além disso, caso em sua criação não sejam tomados alguns cuidados, irá latir até que canse (e lembre-se que seu estoque de energia parece não terminar). O que acontece é que o Pinscher tem raízes bastante ligadas à função de guarda. Dessa forma, late ao pressentir o perigo. Caso não seja educado quanto ao que é ou não perigo, realmente irá latir em demasiado.

Muito de sua personalidade provém de uma série de características físicas. Cães menores usualmente têm metabolismo rápido, provendo-o de bastante energia. A partir daí explica-se seu comportamento ativo e brincalhão, bem como os traços agressivos. Outro traço comportamental que provém, em parte, de uma característica física é sua propensão à morder. Por ser pequeno, não é exatamente difícil machucá-lo. Quando acidentes desse tipo ocorrem, o Pinscher irá revidar.

Cuidados

Muitas vezes os Pinschers são escolhidos como cães ideais para ficarem próximos à crianças. Entretanto, nem sempre essa escolha dá certo. Crianças não têm muita noção de sua força e, como mencionado anteriormente, acidentes podem ocorrer onde o cachorro se machuque ou se sinta ameaçado em uma brincadeira normal. Além disso, a probabilidade de causar fraturas e distenções é alta durante brincadeiras físicas.

O Pinscher pode desenvolver um temperamento bastante agressivo e barulhento. Dessa forma, não é indicado que seja criado por um dono permissivo ou muito ausente. A aproximação de estranhos também deve ser tratada com certo cuidado. Acostumando-o desde filhote, seu Pinscher poderá ser bem mais tranquilo do que a média em relação a estranhos. Sempre é bom evitar contatos muito próximos com pessoas que não sejam do convívio diário, entretanto.

Pinscher2

Devido à sua alta energia, é extremamente benéfico ao Pinscher que sejam realizadas atividades físicas em sua companhia. Felizmente, devido ao seu tamanho, brincadeiras dentro de casa são suficientes. Desafios de esconder, jogar e buscar objetos são ótimos exemplos. Além disso, treinar seu cão a ouvir a orientação poderá ajudar bastante nas questões comportamentais mencionadas anteriormente.

O seu tamanho impõe alguns cuidados necessários quanto ao ambiente em que ele irá ficar. É altamente contraindicado deixá-lo ao ar livre, pois sua pelagem não o protege das intempéries de maneira eficiente. Além disso, por causa de seu tamanho diminuto e seu temperamento, é comum que o Pinscher acabe por fugir por frestas na cerca ao perseguir algum outro animal.

Ainda que o famoso Pinscher branco anão possa ser altamente desejável, é necessário tomar algumas precauções. Cores muito diferentes do usual podem indicar cruzas irresponsáveis. Além disso, tamanhos abaixo dos 25 cm de altura vão apresentando complicações relativamente sérias. As proporções físicas vão ficando imperfeitas, e pode haver complicações no parto às fêmeas. 

Saúde

Se não desejar colocar o seu cão para cruzar, é uma boa ideia castrá-lo desde cedo. Esta é uma medida que evita cânceres à medida que o cão envelhece. O Pinscher tem certa propensão ao câncer, então é importante atentar-se a isso. Caso a castração ocorra antes dos seis meses de idade, melhor ainda.

Pinscher5

Usualmente os Pinschers não são altamente propensos a desenvolverem uma série de doenças muito específicas. Isso não exonera o dono da importância de levar regularmente ao veterinário para check-ups e exames quando necessários. Uma indicação bastante importante, não somente para o Pinscher, é escolher um criador de boa reputação e responsabilidade verificadas, de modo que o seu pequeno Pinscher filhote não tenha maiores chances de desenvolver alguma doença hereditária.

Como cuidar

Para evitar que seu Pinscher se torne um cão agressivo e muito propenso a latir, é importante treiná-lo com firmeza, mas sem autoritarismo. Para tanto, é importante usar um tom de voz forte, mas sem gritar. A permissividade dos donos é geralmente a maior responsável por deixar os Pinschers com o comportamento estereotipado agressivo e barulhento.

O Pinscher é um cachorro de pelo curto, podendo sentir muito frio. Investir em uma roupa, além de deixar seu amigo mais arrumado, irá deixá-lo mais confortável e protegido. Entretanto, muitos cães têm uma propensão bastante grande para tirar suas vestimentas, sendo importante acostumá-los desde cedo. Ainda que pequenos, Uma roupa P, ao invés de PP pode ser indicada, por causa da proporção do tamanho do tórax em relação ao resto do corpo.

Pinscher4

A pele e o pelo são bastante resistentes. Como mencionado anteriormente, o Pisncher é um cão de baixa manutenção. Além da sua saúde, o cuidado com a sua aparência não requer custos altos e banhos frequentes. É possível perfeitamente dar banho em casa, segundo orientação veterinária devido à especificidade do clima de sua região. Escovação e corte de unhas é necessário eventualmente.

Alimentação

O Pinscher tem certa propensão a engordar. Dessa forma, evite deixar comida ao seu alcance o tempo todo. Come pouco em comparação a cachorros de tamanhos maiores, sendo barato manter a sua alimentação com ração de boa qualidade. As quantidades devem ser orientadas por veterinário, entretanto, a não ser em caso de alguma doença, as orientações do pacote são suficientes. Água fresca deve estar sempre disponível.

Preço

O preço de um filhote de Pinscher inicia em cerca dos R$300,00. Os filhotes encontrados em canis, especializados em Pinscher e com tradição em sua criação poderão cobrar mais de R$1000,00 por um exemplar. Em primeira vista, aparentam ser custos altos. Entretanto, é importante lembrar que o custo de manutenção destes cães é bastante baixo, e o baixo número de filhotes por ninhada também influencia.

A raça Pinscher está na categoria Cachorros Pequenos