Terrier Escocês

Cachorro Terrier Escocês

Origem e história

O Terrier Escocês, também conhecido como Scottish Terrier, na tradução em inglês, é um cão de origem incerta. Proveniente das planícies da Escócia, essa raça pode ser mais antiga do que aparenta. Há um cão de parentesco semelhante descrito por Pliny no ano de 55 a.C. Quando Roma invadiu a Grã-Bretanha, ele descreveu cachorros que os seguiam nas pedreiras e que acabaram sendo denominados terrarii, palavra que provém do latim e que quer dizer “trabalhadores da terra”.

Forjado para ser caçadora, esta raça era apreciada pelos donos por sua capacidade de proteger as fazendas de predadores como texugos, raposas e outros. Essa primeira raça do Terrier Escocês, atualmente extinta, era uma das mais antigas daquele país e serviu de base para os outros cachorros que levam a denominação Terrier.            

Padrão definido no fim do século XIX

Outra descrição histórica do Scottish Terrier consta no livro “A History of Scotland” (A História da Escócia), escrito por Don Leslie, que relatou uma raça semelhante ao personagem deste artigo. Cerca de 200 anos antes, no século XVII, James I da Inglaterra enviou diversos cães para a França como presente, entre eles o Scottish Terrier, que ganhou muita popularidade no Reino Unido devido ao amor devotado pelo rei ao animalzinho de pernas curtas.

Terrier Escocês 2

No século XIX ainda não havia uma definição muito clara para o Scottish Terrier. Por exemplo, havia uma variação entre o Terrier Escocês (de pelagem dura) e um Terrier Inglês (de pelagem mais macia). Lá pelo final daquele século, ocorreu uma nova diferenciação entre duas raças: Dandie Dimont Terriers e Skye Terriers, sendo estes últimos os que estavam incluídos os cães da raça Scottish Terrier. Mas somente em 1880 foi descrito um padrão para a raça, elaborado por J. B. Morrison e que vale até hoje.

Dois anos mais tarde, o Kennel Club da Inglaterra reconheceu esta raça de cachorro Scottish Terrier. Levado para os Estados Unidos por John Naylor na primeira metade do século XIX, o animal acabou sendo reconhecido oficialmente naquele país em 1885, ficando muito popular em terras norte-americanas. Já a entidade internacional United Kennel Club incorporou este famoso cão em sua lista de raças puras somente em 1934.

Cão de dois presidentes dos EUA

O Scottish Terrier é mesmo um cão conectado com o poder. Esta raça já esteve na Casa Branca por duas vezes, tendo sido mascote de dois ex-presidentes dos Estados Unidos. Franklin D. Roosevelt, que governou os EUA de 1933 a 1945, teve dois cachorros desta raça. O primeiro deles foi o de nome Fala e a segunda foi a Meggie.

George W. Bush, que esteve à frente da presidência norte-americana entre 2001 e 2009, também teve dois cães da raça Scottish Terrier. O primeiro foi Barney, que viveu 13 anos, tendo falecido em 2013, e a segunda foi a Miss Beazley, que viveu por quase 10 anos e morreu em 2014.

Terrier Escocês 3

Vale lembrar que outras personalidades já tiveram o Scottish Terrier, casos da Rainha Victoria, Eva Braun, Jacqueline Kennedy Onassis, Rudyard Kipling, entre outros. Há, inclusive, duas universidades (Carnegie Mellon University e Agnes Scott College) que possuem o Terrier Escocês como seus mascotes.

De porte pequeno, o animal pode pesar de 8 a 10 quilos apenas e alcançar de 25 cm a 28 cm de altura. Apesar das pernas curtas e de ser pequenino, o Scottish Terrier tem aparência robusta e pode ser trigo, preto ou malhado. Neste último caso, o peito do Scottish Terrier pode ter o branco como predominante.

Temperamento

De espírito brincalhão e simpático, o Scottish Terrier é ótima companhia para a família e pode ser um grande cão de guarda, já que é sempre alerta e bastante corajoso. Ele não tem muito o costume de latir, apenas quando observa a presença de estranhos, ou se estiver estressado. Confiável e alegre, é um bom cachorro para brincar com as crianças, especialmente se elas não forem muito pequenas.

No entanto, o Scottish Terrier tem temperamento bastante forte e pode se tornar genioso às vezes. Logo, é importante ter um dono firme e que o eduque desde pequeno, para que ele não dispute a chefia da casa com o proprietário. Ele necessita ser liderado por alguém que, com carinho e firmeza, o oriente mostrando o que é certo e errado e corrija o que for preciso.

Por ser de porte pequeno, o Scottish Terrier é indicado para apartamento. Por ser independente, inclusive, ele pode ficar algumas horas do dia sozinho em casa. Ele até aprecia alguns momentos só. Porém, é importante dar atenção e cuidado ao cachorro, dispendendo algum tempo para passar junto com ele, afinal, os cãezinhos adoram brincar e receber carinho dos seus donos, independentemente da raça!

Cuidados

Apesar de poder passar algum tempo sozinho e ser indicado para apartamentos, não deixe de levar seu Scottish Terrier para passear. Ele tem muita energia e gosta bastante de brincar, é assim que ele gasta a sua energia acumulada. E se você possui uma casa, esse cãozinho vai ficar muito feliz em ter espaço para brincar.

Outra característica muito comum dele é seu prazer por escavar. Então, não se importe se você morar em uma casa e vir seu quintal escavado de vez em quando. Ao menos tornará o animal ocupado enquanto você não está em sua residência.

Para evitar que ele se torne teimoso e implicante, é importante realizar o treinamento de obediência no Scottish Terrier desde filhote. Isso vai permitir uma melhor socialização no futuro e fará com que ele se coloque no lugar dele perante a família.

O recado a seguir vale para qualquer cão, mas é mais enfático para esta raça: nunca bata ou se mostre agressivo com ele. No caso do Scottish Terrier, isso prejudicará o desenvolvimento dele e o tornará rebelde, especialmente com os membros da família que ainda não conseguiram mostrar liderança sobre ele. Trate com paciência, firmeza e muito amor que o cachorrinho o terá muito bem em conta e o respeitará vivamente.

Saúde

O Scottish Terrier possui expectativa de vida entre 11 e 13 anos. Muito resistente a problemas de saúde, esta raça pode desenvolver, contudo, doenças da tireóide, alergias de pele ou mesmo infecção nos ouvidos. Outro problema muito comum nesta raça é a doença de von Willebrand. De origem hereditária, é uma deficiência em uma proteína que causa defeito na coagulação do sangue e pode causar hemorragias.

No entanto, vale lembrar que essas doenças são predisposições genéticas, isto é, não significa que o animal terá tais problemas. Por isso, é fundamental que você consulte o criador da raça para saber o máximo de informações sobre os antepassados daquele cão que você pretende adquirir. Peça os exames, converse com os responsáveis e, claro, sempre leve o cachorro a um veterinário.

Como cuidar

O Scottish Terrier é um cachorro esportista, logo, deve ser estimulado a gastar sua energia praticando esportes caninos. Outra forma dele se sentir bastante animado e contente é ao levar o animal para caminhadas diárias, isso vai deixá-lo muito feliz. Mas não inclua a natação entre os esportes, já que o Scottish Terrier não gosta de nadar e até mesmo tem dificuldades devido a seu corpo pesado e pernas curtas.

E apesar de não soltar muito pelo, esta raça precisa de tratamento mensal na pelagem, assim como escovação diária para manter seus pelos saudáveis, bonitos e livres de nós. Fique atento às regiões da barriga e das pernas na hora da escovação. As unhas devem ser aparadas regularmente, assim como as orelhas, que precisam de limpeza cosntante. Os banhos devem ser frequentes.

Alimentação

A alimentação do Scottish Terrier deve ser bem cuidadosa e rica em nutrientes de alta qualidade. É recomendável que ele coma de uma a uma xícara e meia de ração por dia. No entanto, cada cachorro tem metabolismo próprio e a quantidade vai variar de acordo com o tamanho, idade e nível de atividade do animal. Isto é, se for um cachorro mais ativo, que faz muitos exercícios físicos diariamente, comerá bem mais que um animal que passa mais tempo dentro de casa e se exercita bem menos.

Para tirar a prova, consulte as embalagens de ração que indicam as quantidades médias para cada animal, dependendo do peso e tamanho. Outra dica é consultar o veterinário ou mesmo o canil criador do Scottish Terrier, que poderá dar informações mais precisas ainda sobre a alimentação do seu bichinho.

Preço

É muito comum encontrar a raça Scottish Terrier à venda no Brasil. Se você pesquisar um canil que crie Scottish Terrier irá encontrar diversos endereços em várias localidades, tais como: São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

O preço do Scottish Terrier varia entre R$ 1000 e R$ 2.900. Pelo fato do valor ser tão discrepante em uma pesquisa de internet, é importante você se informar sobre os responsáveis pela criação, se possuem um canil certificado ou mesmo recomendado. Para evitar problemas futuros, é fundamental você buscar conhecer os donos desses animais e não se animar apenas pela fofura dos filhotes de Scotish Terrier, que realmente são adoráveis e chamam a atenção.

A raça Terrier Escocês está na categoria Cachorros Pequenos