Welsh Terrier

Cachorro Welsh Terrier

Origem e história

A família Terrier é uma das que mais possui raças espalhadas pelo planeta. Até devido à sua história longa e cheia de ramificações, é difícil cravar com certeza como cada um deles se originou e evoluiu. É também o que acontece com a raça de cachorro Welsh Terrier, cão cujos primeiros registros datam de 1700.

Os principais estudiosos de tema de origem das raças caninas apontam fortemente para a ligação desse animal com o País de Gales. Ele teria sido originado na região e criado por diversos caçadores de minérios galeses que precisam de um cão para ajudá-los na caça de animais como raposas e ratos.

Welsh Terrier

Ele era muito importante na caça, especialmente contra presas que se escondiam em suas tocas, como acontecia com raposas e lontras. Nesses casos, o Welsh Terrier conseguia entrar nos locais e buscava a presa mesmo com a proteção criada, auxiliando diretamente os seus donos.

Se o local de origem não gera tantas dúvidas, o mesmo não pode se dizer dos seus antepassados. O mais provável é que tenha sido originado do Terrier Inglês Preto e Canela, fato que inclusive o batizou como Old English Terrier por muito tempo. Há ainda quem defenda que ele é, na verdade, sucessor da raça Welsh.

Sua formalização como raça veio apenas em 1854 em território europeu. Na América, chegou através dos Estados Unidos durante o século XIX, país onde se tornou muito popular entre os norte-americanos.

Temperamento

Assim como outros cães da raça Terrier, o Welsh Terrier confunde o seu histórico com a sua personalidade atual. O lado caçador fica apenas para longe de casa, sendo um grande companheiro aos seus donos quanto está dentro das quatro paredes. Ele é mais tranquilo do que outros cães da família Terrier também.

Ele é muito leal e carinhoso com a sua família, especialmente com o principal dono (aquele que ele identifica como favorito). Gosta muito de brincar e tem muita energia, sendo também um incrível cão para quem tem crianças dentro de casa. O seu lado divertido, alegre e entusiasmado é o que mais chama atenção de quem possui um exemplar dessa raça.

Por outro lado, também é um cão bastante teimoso, fato que pode torná-lo levemente difícil para treinar. As suas características com estranhos dependerá muito da maneira que for educado pelos donos. A socialização é importante desde cedo para que ele seja ativo dentro da casa. Inibir esse lado poderá torná-lo quieto e isolado.

O seu lado temperamental também inspira cuidados no dia-a-dia já que sem a firmeza do seu dono poderá ficar um tanto quanto folgado e teimoso aos comandos. A curiosidade também é bastante presente nesse cão, portanto a atenção deve ser total sobre objetos pequenos e outros animais em casa ou na rua.

Welsh Terrier características

A pelagem do cão da raça Welsh Terrier é bem dura e ereta. A coloração irá variar entre os diferentes exemplares dessa raça, porém a maior parte deles apresenta-se entre preto e cinza com castanho. É possível ainda encontrá-lo com cores preta e castanha também.

A região da cabeça apresenta trufa preta e muita força nos dentes, com uma mordida firme e consistente como herança dos tempos de caçador. O crânio tem um largura moderada. Os olhos são escuros e arredondados, enquanto as orelhas apresentam a forma de um “V”.

A cauda não é tão grande, mas mesmo assim alguns donos optam por cortá-la. Se decidir por seguir dessa forma, o dono deve buscar um profissional especializado em cortes de caudas já que se feita de maneira incorreta poderá implicar em problemas de equilíbrio para esse cachorro.

Welsh Terrier 2

Seu andar é sempre firma e cabeça erguida, apresentando postura exemplar e de quem sabe das suas qualidades. As pernas são muito fortes, o que faz com que a sua movimentação seja rápida, veloz e segura – outra característica presente desde os primeiros anos da sua existência como cão de caça.

Cuidados

Como citado anteriormente, esse cão deve ser treinado desde que é um Welsh Terrier filhote para que suas características de teimosia e personalidade forte não impeçam que seja um cachorro educado e obediente. A educação deve ser feita de maneira firme e objetiva pelo dono para que o cão saiba desde pequeno quem realmente manda na casa.

Outra coisa que o filhote de Welsh Terrier deve ter desde pequeno é a socialização, isto é, estar submetido a conviver com outras pessoas e animais que não estejam habituados dentro das suas casas. Isso garante um bom comportamento e um crescimento saudável para essa raça que é tão agitada.

Falando em agito, esse cão lida muito bem com a vida caseira, porém exige uma rotina de exercícios para gastar toda energia que apresenta. Para isso servem tanto brincadeiras no quintal (ele adora crianças e, principalmente, água) como passeios pelo bairro. As atividades simples já deixarão esse cachorro muito feliz.

Sobre seu pelo, ele inspira a necessidade de certo cuidado. O Welsh Terrier precisa passar algumas vezes no ano por “plucking”, isto é, a retirada manual de alguns pelos para que eles não causem impactos na pele do cachorro. A escovação precisa ser constante também, sendo feita ao menos duas vezes por semana.

Welsh Terrier 3

Por fim, sempre é importante evitar deixá-lo por muito tempo sozinho. Como é brincalhão e amoroso, fica muito triste quando fica isolado – razão pela qual é essencial mantê-lo dentro de casa. Eles também aprontam bastante, especialmente subindo em mesas e móveis da residência. No quintal também podem causar estragos nas plantas já que gostam muito de cavar.

Saúde

Em relação à saúde, o Welsh Terrier tem um comportamento bem diferente do restante da sua família. Apresentam grande resistência desde os primeiros anos de vida, com alto fôlego para as perseguições das suas presas. A resistência não é apenas para atividades de velocidade, mas também sobre temperaturas: adapta-se bem tanto ao frio, como também ao calor.

Por outro lado, geralmente sofrem com dois grandes problemas que podem afetá-lo com alguma regularidade ao longo da vida.

  • Alergia: essa raça é muito sensível a pós, fungos e até comidas. Esse problema se apresenta através de muita coceira, sendo recomendável leva-lo ao veterinário para confirmar se é um problema de alergia ou apenas pulgas. Caso se confirme o primeiro, não existe cura: resta selecionar bem a rotina do cão para que ele não fique exposto ao que lhe faz mal.
     
  • Epilepsia: assim como humanos, a epilepsia pode afetar a vida de um Welsh Terrier. O dono deve-se atentar para situações de descontrole. Esse problema é mais comum em cães que bateram a cabeça ou sofrem de algum problema craniano. Também não pode ser curada, apenas controlada.

Como cuidar

O primeiro cuidado de quem adquirir um Welsh Terrier é claro: adestramento e socialização. Ele é muito mais difícil do que qualquer outro cão da sua família Terrier de aprender as regras, mas se bem treinado será muito bem educado nas mais diversas situações.

Principalmente se esse for o seu primeiro cão, saiba ser enérgico e firme nos seus comandos. Ele não irá se revoltar com você por isso e ainda aprenderá quem manda na casa. Se for muito bonzinho ou tiver pena de dar broncas, ele certamente ficará ainda mais teimoso e desobediente.

Ademais, não se esqueça da retirada dos seus pelos (conforme explicado na parte de “Cuidados”, os pelos podem machucá-lo posteriormente se não foram arrancados) e dos exercícios físicos. Ele precisa ser exercitado para manter a sua saúde em dia e não apresentar problemas posteriores.

Alimentação

Como todo e qualquer cachorro, a sua alimentação dependerá muito da sua rotina. Como se trata de um cão que demanda gasto energético e atividades ativas, ele precisa estar bem alimentado para não ter problemas com a sua rotina diária.

O recomendável é que seja servida uma xícara de alimento seco diariamente, preferencialmente dividida em duas refeições para que ele não coma tudo de uma vez e fique com fome depois. Essa quantidade pode ser ligeiramente menor caso o cão não seja muito ativo, ou seja, faça pouco exercício.

Essa quantidade é considerada para ração de alta qualidade, isto é, marcas do nicho Premium ou Super Premium. Caso precise comprar rações mais baratas por questões financeiras seria recomendável dar um pouco mais de ração para que os nutrientes sejam suficientes. Nesse caso, cuidado com o peso do cachorro para que ele não se torne obeso.

Preço

O custo de um Welsh Terrier vai sempre variar muito de idade, gênero e local. O Welsh Terrier tem venda na faixa de R$ 1.500 até R$ 2.000. Valores muito maiores do que isso deve ser analisado com cautela já que você poderá estar pagando mais do que devia.

Vale lembrar ainda que é possível que existam valores com transporte do animal até a sua casa e que podem aumentar um pouco o preço do Welsh Terrier.

Welsh Terrier canil

Alguns canis no Brasil já trabalham com a criação do Welsh Terrier e não é um cão tão incomum de se encontrar, embora também não seja o mais popular.

Caso encontre e opte pela compra, nunca se esqueça de pedir a documentação e o histórico para certificar-se de que aquele cachorro está saudável e não apresenta riscos maiores que um outro com histórico negativo dos seus pais.

A raça Welsh Terrier está na categoria Raças